segunda-feira, março 31, 2008

Fogo

crepita a minha pele
quando te vejo.
e tu sorris discreta neste jogo
nada já disfarça o meu desejo
que me consome a alma
como um fogo.

Morder

abre a boca
como me abriste
um dia o coração
coloca no meu pescoço
a palma da tua mão
olha-me nos olhos
até ceder
oferece-me um beijo,
como quem me vai morder.