domingo, fevereiro 02, 2014

Um conto sobre sacrifício individual por amor aos outros.



Conta uma antiga lenda Maori, da Nova Zelândia, que certo dia o pai de todas as árvores “Tane ma huta” começou a ficar preocupado com as suas filhas, pois estavam a definhar e morrer, pois os vermes da terra atacavam-lhe as raízes.

Preocupado, foi falar com o seu irmão “Tane hoka hoka” o pai de todas as aves e explicou que se não se resolvesse o problema em breve as árvores morreriam todas, e no solo despido as aves do céu com as suas coloridas asas e o seu espírito alegre e livre, também não teriam condições de sobreviver. Era, portanto preciso que alguma ave ajudasse a resolver o problema.

O pai de todas as aves falou. Explicou a situação e perguntou:
- Pássaro Tui, aceitas a tarefa de comer os vermes da terra, abdicando do céu para que todas as árvores e todos pássaros possam sobrevier?

O Pássaro Tui olhou para o fundo da floresta, onde os raios de sol mal penetravam e viu o chão húmido e frio onde teria de viver para sempre, e tremeu. Não respondeu e foi-se esconder!

Perguntou então à Garça Pukeko :
- Aceitas tu ir viver para o chão da floresta?
- Não quero molhar os pés! – Respondeu a garça.

Virou-se então para, Pipi whar auroa, o Cuco, mas estes respondeu:

- Agora não posso, vou fazer um ninho para mim e para a minha família na árvore mais bonita da floresta.

O Pai de todas as aves, ficou triste, pois sabia que em breve não sobraria nenhuma árvore onde os seus filhos pudessem fazer ninhos.

O Pássaro Kiwi, disse:

- Eu vou!

O Pai de todos os pássaros disse-lhe:
- Kiwi, tu o pássaro mais alegre, com as penas mais bonitas e o voo mais encantador? Percebes que se fores vais perder as asas, ganhar pernas toscas e robustas para revolver os troncos mortos. Perder esse bico maravilhoso que te faz cantar tão bem e em troca ficar com um bico forte e grosso para perfurar as cascas das árvores para ir buscar as larvas e os vermes, e no escuro da floresta perderás todas as tuas cores, e nunca mais voarás ou verás mais do sol que alguns raios que atravessem os ramos das árvores?

O Kiwi olhou em volta, despediu-se do céu aberto, da brisa que vinha do mar, e da luz do sol e disse:

- Eu vou.
O pai de todos os pássaros ficou muito feliz por resolver o problema, mas triste por perder a ave mais bonita dos céus. E num acto de raiva castigou o Tui que fugiu, e desde aí o Tui vive escondido da vista de todos. Castigou a garça, que não queria molhar os pés a alimentar-se nos pântanos. E castigou o cuco, que ia fazer o ninho, de modo a que nunca mais nenhum cuco fez ninho, e ainda hoje andam a por os ovos nos ninhos dos outros.

E para que o gesto do kiwi nunca mais fosse esquecido, contou esta história aos homens para que a contassem aos filhos e netos. É por isso que ainda hoje na nova Zelândia o Kiwi é amado por todos, e o seu gesto de abnegação por amor a todos ainda é recordado aos mais novos!