sábado, março 23, 2013

Lama da saudade



Na terra fêmea de vida
na água que molha e perfuma
na copa da alta pinheira
 na sombra da caruma

Nas mãos se faz escultura
nas gargantas e ravinas
nas mais sentidas caricias
nas costas envoltas em brumas

No silêncio por moldar
no cheiro a solo molhado
no tempo de desejar
no tempo chora passado

És mulher mãe menina
És lama de vida pura
És no silêncio a mina
És todo o mel da ternura

E eu mirando de longe
E eu a ver-te fugir
E eu só no horizonte

E a saudade que estou a sentir!

segunda-feira, março 18, 2013