quarta-feira, novembro 21, 2018

Caçador de sonhos



Adormeces aqui no meu abraço
Cai a noite sobre os dias risonhos
Adormeces vencido de cansaço
Na noite acordas caçador de sonhos

Na noite escura não andas sozinho
Perdido nas sombras de becos medonhos
Enquanto sonhas inventas caminho
Porque tu és um caçador de sonhos

Brincas saltando todo o santo dia
Momentos parados são enfadonhos
Não há limites para a rebeldia

Tua luz alegra rostos tristonhos
Vives espalhando a tua alegria
E a ti te chamam: caçador de sonhos!    



domingo, novembro 18, 2018

Guardas no fundo dos olhos!



A imagem pode conter: 1 pessoa, planta, árvore, ar livre e natureza

Há na paisagem o cheiro a verde
O verde selvagem que guardas no fundo dos olhos
Debaixo das pedras cinzentas
brincam os duendes, namorando as fadas.
como eu te namoro a ti...
paisagem mais romântica eu nunca vi!

As folhas douradas, memórias do passado,
são desejos futuros ainda por inventar.
Uma música Celta inunda o ar...
Dança o sentimento que não sei definir
No sentir intenso de uma flor a abrir!

O néctar perfumado que me molha os dedos
em carícias mergulhados nos teus segredos
e um beijo inventado nas bocas revoltas
Abres as asas e voas - e voas - e voltas!

O frio nevoeiro o vale encheu
E nos olhos cúmplices a vontade nasceu..
As línguas cruzadas e um doce tremor
Quando um beijo se de funde, sorri o amor!  







quarta-feira, outubro 24, 2018

Pianoforte



No quarto da mansarda já esquecida 
Um piano chora sob os seus dedos
Em cada nota uma oração de vida
Nas pausas ela esconde os seus segredos

Suave a melodia que se escuta
Entre gotas de chuva dissolvida 
Atormentada alma em fogo exulta
Um corpo de mulher gerando vida 

Dedos são martelos tocando um sino
Gritando sem parar o seu clamor
Num voo que se expande como um hino

Liberdade sem dono nem senhor
Um intenso desejo em desatino
E rendida aos caprichos do amor  

 


sábado, outubro 06, 2018

Há no teu beijo




Texto alt automático indisponível.

Há no teu beijo um silêncio
dos olhos que os meus encontram.
Um olhar de segredos,
que os nossos lábios não contam.

Há no teu beijo um desejo,
que fica por saciar.
Quando trocamos o beijo
há melodia no ar.
Há no teu beijo o sol
com o seu intenso calor
nas pétalas da tua boca
suave promessa de amor. 

terça-feira, setembro 25, 2018

Há palavras que são muros, há palavras que são pontes.



Há palavras que são muros
Há palavras que são pontes

A Inveja é muro, ergue-se entre as gentes
A desconfiança, outro, e a xenofobia,
O medo, a cobardia, não gostar dos diferentes.

Há palavras que são pontes, que ligam corações,
Solidariedade, amizade, e a filantropia
Que é assim uma alegria de fazer boas ações.

Há palavras que são muros, como a fome e a guerra
E o desespero, obscuro, de uma mãe que se lança
Ao mar. por não estar segura em terra

Há palavras que nos vêm pela boca dos profetas,
Palavras que nos consolam,
Nas horas triste e desertas.

Há palavras que são pontes, como amor e amizade
Pontes que vencem muros:
Fé, esperança e caridade.  



terça-feira, setembro 11, 2018

Não dirás de mim uma só palavra

 a wooden chair rests on the smooth surface of still water; mountains rest in the misty background

  
Não dirás de mim uma só palavra
após a minha morte. 
Não voltes a dizer o meu nome, 
não me prendas a ti. 
Não quero ser-te uma memória.
Deixa-me ser-te silêncio, 

apenas isso.
Que eu te seja na saudade, 
derradeira forma de amar. 

sexta-feira, agosto 03, 2018

Fala-me da rosa





















Fala-me da rosa

Fala-me do silêncio em que as pétalas dançam

E do perfume que fica nos dedos

O macio aveludado do gesto

no mais belo dos segredos


Fala-me da rosa

Da melodia do sentir

da espera que atormenta

no momento que está para vir


Fala-me da rosa



 

terça-feira, julho 24, 2018

Allegro con spirito







Silêncio,
prelúdio do beijo
melodia doce
que me enleia,
desejo.
Salpicam 
notas de tinta,
lágrimas a saber a mel,
um sentir
gravado
nas folhas de papel.
Cantar-te
em voz aberta,
melodia  em clave de sol
da coxa meio encoberta
pelo branco do teu lençol.
Murmuro
ao teu ouvido:
"todo o meu ser pulsará"
enquanto me alongo contigo
num toque em
clave de Fá!
Para que a melodia
faça sentido em Mi menor
Tens de me dar
uma nota
do acorde
Si Maior! 
Não há limites na música
não há línguas
nem fronteiras,
há apenas emoções
intensas
e verdadeiras


 
 


segunda-feira, junho 25, 2018

Teus pés



Teus pés são gotas cristalinas
chuva de Verão
penetram suavemente
a terra quente
como quem voa
como quem dança
na ausência
do corpo
tudo é gesto e elegância
no sentir que me despertas
és a minha companhia
nas horas mais desertas
nas secretas fantasias
quero ser caminho
onde andes livremente
mas não pises os sentimentos
que deposito na tua frente
no teu altar sagrado
há uma pedra fendida
onde dançam encantados
os doces mistérios da vida.

Savinien (2018)





Foto: Olivia Bell (ThebellSisters.com)








terça-feira, março 27, 2018

Le Rouge... Beltrame!



Le Bleu
Le Blanc
Le Rouge

Le Rouge... Beltrame!

A bandeira francesa tem azul
como os uniformes dos polícias

Como Beltrame!

A bandeira francesa tem branco
como as mãos nuas de quem se entrega

Como as de Beltrame!

A bandeira francesa tem vermelho
como o sangue dos que morrem inocentes

Como Beltrame!

Naquela noite uma
mulher jantou com a sua família

Graças a Beltrame!

Mas a mulher de Beltrame
jantou sozinha

Morreu Beltrame!

Toda a vida que se dá por amor
permanece no amor para sempre

Até sempre, Beltrame! 

domingo, março 25, 2018

Manto de Estrelas




O espaço fecundo do teu ventre
gera palavras bonitas
numa ode inspirada
onde tu choras e gritas


Quero beber cada letra
no vinho tinto maduro
que serves de madrugada
Num quarto forrado de escuro

Quero descobrir-te
mulher, no teu corpo de lua
num gesto simples despir-te
e depois contemplar-te nua

Os dois no mesmo segredo
Nesta conversa sem fim
Onde impera o desejo
e cresce fora de mim

Deitado a teu lado,
teus aromas me revelas
vou roubar-te um beijo
Sob um manto de estrelas


Noite de mil poemas
e um texto corrido
embala-me neste meu sono,
que hoje eu sonho contigo

quinta-feira, fevereiro 22, 2018

Saudade





















O vazio, frio
sem palavras.

O silêncio e
o temor. 

Um sopro, 
que foi vida

Saudade,
a derradeira face do amor! 



domingo, fevereiro 11, 2018

Frio


Acolhe-me nesse abraço, meu amor
esse abraço que me nega o vazio,
esse abraço que me conforta
e enche de calor o meu frio.













Dança à minha volta, meu amor,
numa vertigem sem fim
trocamos os dois de corpo
sinto-te dentro de mim.

Olha-me nos olhos, meu amor
em silêncio de palavras
do deserto de onde vim
para o oásis onde estavas.

Deixa fluir, meu amor
tu és mar e eu sou rio
desaguando no teu ventre
tudo é sol, já não há frio.

E depois vem o descanso
de vagas na praia quente
somos ilha do amor
num oceano de gente.

Um poema que se escreve
em beijos, pele e saliva
na união do amor
da felicidade se faz vida!


terça-feira, janeiro 09, 2018

Não me deixes partir



Não me deixes partir
a horas certas,
a horas escritas,
determinadas.

Não me deixes partir,

nas horas incertas,
nunca previstas,
indeterminadas.

Abraça-me,

segura-me,
encosta-me a ti!

Diz-me,

sorri-me, 
faz-me acreditar.

Diz que o tempo

é um momento 
e que pode parar.

Diz-me 

que a alma
que vês nos meus olhos
vive eternamente.

E diz

que essa alma 
fica contigo, 
neste corpo... 

Para sempre!