quarta-feira, abril 30, 2008

Confesso

"Tenho um enorme prazer em despir-te,
não tenho qualquer pressa em te ver nua"

Amo mais o caminho que a chegada
Amo o prato até o servir
o cozinhado até o provar
Amo a terra de onde nasce a árvore
e mais a árvore que o fruto,
prefiro colhê-lo que degustá-lo,
e degustá-lo que espremê-lo.
Amo a roupa que trazes vestida,
quero removê-la peça a peça,
no prazer de te despir,
mas tu nunca ficas nua
antes que eu adormeça.

Sem comentários: