domingo, setembro 29, 2013

Dói-me a chuva

A cada gota
condensada e cristalina
que tomba na terra fria
dói-me

Como se nu
sem ti
morresse a cada pinga

Memória
Eterna
Esperança que nada espera.

A chuva não me cai na pele
mas dói-me cada gota
que penetra a terra.

Sem comentários: