quinta-feira, março 03, 2016

A morte de Rodrigo Lapa

Foto da página do Facebook:
Até sempre Rodrigo Lapa 
Negra ave de passagem
num céu metalizado
Um alerta sobre o jovem 
que não foi localizado

Uma mãe nas noticias
sem muito ar de sofrer
Não sabe onde está o filho
Mas também não quer saber

Há alguém preocupado
que o procura sem cessar 
Uma foto na internet 
Há um rosto a divulgar

Rapaz jovem, como outros
Com uma mãe e com um pai
Que depois do almoço 
Para a sua escola vai

Só quem nunca teve 15
quem não foi adolescente
é que não sabe a energia 
que na altura invade a gente

Estamos sempre a descobrir
Coisas novas sobre nós
Às vezes queremos companhia
Outras queremos ficar sós

Somos gente a crescer
estamos em terra de ninguém 
Já não somos criancinhas 
E nem adultos também

Quando o rapaz vai crescendo
Vai a voz engrossando
Vai fazendo muita asneira
Uma vez de quando-em-quando

O amor e a paciência
Nunca faltam aos nossos pais
E àqueles que nos amam
Nós pedimos sempre mais

O amor é um valor 
Que distingue a humanidade
Quem o outro não amar 
Não é gente de verdade

Há pais de coração 
Que nos amam como filhos
Que nos ajudam a safar 
Quando estamos em sarilhos

Mas aqui não foi o caso
E isso custa a entender
Onde está o amor de mãe 
No coração desta mulher? 

Tem o filho já sem vida
A poucos metros de casa
Vai disfarçando a coisa
enquanto o amante baza? 

Foge o tipo pró Brasil 
Depois de morto o rapaz... 
Mulher, era o TEU FILHO
Como tu foste capaz? 

Acredito que nascemos 
todos para a felicidade 
Mas ao ouvir esta história
não sei se será verdade

Espero não estar a ser injusto
Com ela nem com ninguém
Mas uma mulher assim
Estraga a palavra Mãe! 









  

Sem comentários: