sexta-feira, dezembro 31, 2004

Instante

Calmo azul infinito
No areal branco e quente
Repouso merecido
Muitos chapéus muita gente

Azul de um mar profundo
Azul mais azul que o céu
Estava um dia tão lindo
Na manhã em que a terra tremeu

No quarto de hotel tremiam
Paredes soltavam-se sorrisos
Mas nem meia hora passada
Havia confusão e gritos

E assim se prova mais uma vez
como a Natureza é inconstante
Demora séculos a criar
E destroi tudo num instante.

Sem comentários: