sexta-feira, julho 06, 2007

Não vás já!

Ainda nem me habituei a ti,
aos teus passos pequenos,
às expressões de alegria,
de curiosidade, de espanto.
Surpreendes-me em cada dia,
surpreendes-me tanto.

A vida tem leis duras,
cruas,
que não compete a nós perceber.
Sabemos qual o destino,
de todo o ser pequenino
que um dia logrou nascer.
Tem mesmo de se cumprir
nada se pode fazer,
ninguém pode fugir.

Digo em expressão de criança
que evita coisa má:
Eu sei que tu tens de ir...
Mas por favor,
Não vás já!

Sem comentários: