quarta-feira, janeiro 04, 2012

Momento final

Cansado, sem forças para gritar
deixou tombar o corpo no asfalto frio 
naquela tarde de Janeiro
deixou tombar o corpo muito tempo depois
de ter já deixado tombar a alma. 

Olhou com os olhos vagos o céu imenso
num cinzento intenso monótono e vazio
deixou escorrer as lágrimas como um rio
de um lado e do outro do rosto macilento 

deixou-se morrer, porque até as vidas sem sentido, 
num despedir desapegado,
precisam de um momento final.

1 comentário:

Tininha disse...

Hoje gosto particularmente deste.