terça-feira, fevereiro 05, 2008

Aos Moinhos de Vento de Odivelas


Scott Gustafson

Os moinhos que Quixote venceu
levantam-se de novo à minha frente.
Não sei se é devaneio ou sonho meu,
sei que ninguém os vê e há tanta gente.

Memórias de um passado cavaleiro,
poeta, sonhador e desgraçado.
Acompanhado pelo seu escudeiro,
um homem rude e simples mas honrado.

E eu, que não tenho lança nem escudo,
nem quixotes, nem elmos, nem viseiras,
tenho igual loucura, diferente em tudo.

Enfreto essas bestas arruaceiras,
de peito aberto e um forte grito mudo,
que as minhas ilusões são verdadeiras.

1 comentário:

Anónimo disse...

Ilusões verdadeiras?
Que encanto de paradoxo...