quarta-feira, junho 25, 2008

Bebe-me

bebe-me mesmo que não tenhas sede
e o teu deserto seja um oceano de águas doces
frescas e límpidas como os teus olhos
bebe com esses lábios de menina
puros intocados,
bebe-me enquanto vagueio louco,
pelo vale encantado dos teus segredos,
e rasgo os véus do silêncio e do medo,
e me dissolvo em ti.

2 comentários:

Anónimo disse...

O verão dá sede a muita gente. Tem cuidado.

Anónimo disse...

Muito forte. Deixou-me com vontade de aceitar o convite.