segunda-feira, abril 05, 2010

Pessoas I


Alexandre Oliveira na peça: "Pessoas, plural de Pessoa",
Ramada, 27 de Março de 2010

Sair da cama, de manhã, como quem se deita
e adormecer ao contrário,
para que, em vez de me esquecer dos sonhos,
me esqueça de mais um dia
que vivi completamente ao invés
daquilo que queria viver.

O infinito não é mais
que enganar a morte em todas as esquinas!

Sem comentários: