segunda-feira, maio 10, 2010

Nada mais inocente que um beijo...



Se há gesto que é inocente é o gesto de beijar,
aquela carícia que a gente, mesmo sem muito pensar
aprende naturalmente.

Simples e pleno de vontade, que mais tarde será desejo,
assim se tempera a ternura que cada um põe no beijo.

Rosto no rosto inocente, duas faces que se tocam,
ou bocas, lábios e línguas que num bailado se trocam.

Eu beijo desde menino, aprendi com a minha mãe,
um beijo dado com carinho é o melhor presente que se tem.

Muito começa com beijo, o beijo remata tudo,
E, quando a palavra não vem, o beijo é a forma mais elegante
de permanecer mudo!

1 comentário:

GM disse...

E se ninguém comenta, cabe-me a mim abrir o baile e em passos acertados dizer que o beijo é a forma semi-muda do sentimento falar, sem corar. É talvez um desafio, ou um roubo ao desvario, pode ser de amor, pode ser de dor, é a inocência que pede um toque ao de leve e a paixão que o arranca a sofreguidão à febre... É o toque de mão, o arrepio da pele,a partilha, a entrega, a promessa do céu...e é o silêncio de palavras que se excusam entre amantes, um vício, um mimo, uma procura constante dos lábios seus... É o lugar onde um dia caberá todo o Amor do mundo.