quinta-feira, outubro 02, 2008

O erro de Pandora

E de mansinho vou descobrindo
pelos teus gestos e silêncios
o que as palavras não dizem.

Aprendo a conhecer os teus cheiros,
a profundidade do teu olhar,
e os segredos que proteges.

O teu baú secreto,
que desejo ver aberto,
mas tal intento demora.

Teus olhos o meu alento,
o meu maior tormento
o teu erro de Pandora.

2 comentários:

Oblívio Denego disse...

O "erro" não será de Pandora mas do próprio autor ao fazer a sua consideração.

Posso estar equivocado, mas se é certo que libertou o "mal" sobre a Terra, não é ela que é o "mal".

Não creio que haja qualquer espécie de "erro" no comportamento dessa pobre personagem para lá da natureza intrinseca da própria espécie. Ademais, se não fosse ela seria qualquer outro a abrir a caixa e apenas mudava o nome do mito.

Desejo um bom serão

principiomeioefim disse...

Olha a Pandora...