quinta-feira, setembro 30, 2004

Código da Vinci

De tempos a tempos aparece um livro que se torna fenómeno de vendas, o que imediatamente provoca dois efeitos:
- Primeiro, alguém vai ganhar muito dinheiro.
- Segundo, alguém que nunca leu uma obra completa vai fazê-lo pela primeira vez.
Pessoalmente invisto uma boa parte do meu dinheiro em livros. Tenho esta paixão desmedida pela leitura desde pequeno, e fico contente por saber que os livros ainda despertam novas paixões.
Nesta época em que o Harry Potter é o livro mais vendido do mundo - ou melhor, os livros - pois cada novo livro parece ser um sucesso igualando ou superando o seu precessor - só me posso sentir contente por tal facto.
Este verão ninguém conseguiu passar ao lado do livro de Dan Brown: O CÓDIGO DA VINCI. O sucesso da obra foi tal que imediatamente as editoras encheram o mercado de livros complementares, suplementares e auxiliares à obra. Mas que verdades nos revela o livro? De que maneira muda ele a nossa perspectiva da arte, da sociedade, da religião, a imagem de Leonardo - para mim o único génio completo desde Arquimedes - dá-nos respostas ou acrescenta-nos mais interrogações?
Será que a obra atinge todos da mesma maneira? Levanta a todos as mesmas problemáticas? Será mera ficção, ou esconderá um trabalho cientifico sério e bem documentado?

4 comentários:

DarkAngel disse...

De facto este livro não deverá, certamente, deixar ninguém indiferente, levantando dúvidas que não tinhamos, que tínhamos deixado cair no esquecimento ou até criar novas dúvidas a partir de uma simples leitura e indagação deambulante... Enfim...
Asseguro-te que este é sem dúvida um belo livro, que merece ocupar um espaço na nossa estante e na nossa mente...
Quando sair o filme desta bela obra, aí sim, veremos a polémica, as dúvidas e os problemas a choverem como gotas finas em pleno arco-íris...
Quem sairá molhado no final desta história?
Now, that's a tricky question... ;)

Anónimo disse...

Gonçalo wrote:

Realmente o livro já ocupa mais um lugar na minha estante :) Tenho que confessar que nunca fui um grande apaixonado pela literatura... Ler qual o prazer? Era uma das questões que mais colocava a mim próprio. De há um tempo para cá, acho que passei a devorar livros :)
Em relação ao nosso best seller, considero-o um dos melhores livros q li (não li assim muitos :)), mas a opnião tem fundamento. Veja-se, trata-se de um livro que fala sobre um tema que poderá,ou não :), abalar a igreja católica, tocando nas suas profundas raizes, daí o best seller. Por outro lado, o autor conseguiu fundir de tal modo factos com romance que o leitor facilmente perde a noção do que é história do que é verdade. A forma como o policial é tratado é outra das peças fundamentais, pois a cada folha lida, surgem novos factos que alteram toda a história, condicionando a vontade do leitor para um break coffe. O modo fotográfico como os lugares são descritos é também espantoso(cheguei a pegar em livros de lugares indicados na obra que correspondem à descrição do autor-- bem, um verdadeiro copy paste nesta alturas resulta sempre LOL. Não, não é este o caso, o "Dan" parece que estudou bastante antes de conseguir escrever a tempo inteiro--
Quem lê o livro, certamente fica com algumas dúvidas, isto porque os argumentos invocados são fortes. Desde segundos significados em pinturas, esculturas mediáticas até envangelhos não considerados como verídicos para a escrita da biblia. Biblia esta aceite por todos os cristãos :) Repare-se que mesmo as seitas, que não aceitam a Tradição que a igreja católica diz possuir, se fundamentam na Bíblia. Aliás, o que são elas se não interpretações particulares, umas mais verídicas do que outras, de um livro escrito ao longo dos séculos. Para quem tem dúvidas, recomenda-se o estudo da origem destas religiões/seitas. Considerando que o livro conta a verdade, ou seja, que Jesus era casado com Maria Madalena, deixando descendência, e que a sua esposa deveria ser a verdadeira apóstola, o que poderão esperar todos os Cristãos? Os que não são católicos continuam com a dúvida se o seu DEUS encarnado foi mesmo casado ou não. Já aos católicos,coloca-se outra questão bem mais importante: é verdade que Maria Madalena é que deveria ter sido a Apóstola número um de Jesus Cristo? A minha resposta como católico é simples: mesmo que Maria Madalena fosse a Apóstola número um a igreja continua a ser a mesma instituição e com a mesma importância. Tudo o que ela pretende dar é fundamentos de fé. Por outro lado, se Jesus cria que Maria Madalena fosse a número um, porque teria ele 12 apóstolos???? Só mais uma coisa, eu respeito o livro, a história e os que acreditam nesta versão, mas não nos deixe-mos iludir....

Anónimo disse...

De facto o Código da Vinci está a ser um enorme sucesso de vendas,
não sei se será propriamente pelas questões que esse livro suscita, e que vem pôr em causa a tal
"santidade" de Jesus Cristo. É um livro que é uma espécie de romance e está bastante bem escrito
porque o autor é bastante hábil, porque explora "o filão inesgotável da teoria da conspiração".
Penso sinceramente que depois da leitura deste livro deve-se ler O Código da Vinci Descodificado,
dado que este último é uma espécie de dicionário que "revela" quais os aspectos que são de facto
verdadeiros e os que são romanceados. A questão do Priorado do Sião já tinha sido levantado no livro
Holly Blood, Holly Grail, e este livro foi um dos que serviu de inspiração para o Dan Brown. Há quem defenda
que o Priorado do Sião apenas surgiu a 7 de Maio de 1956, quando Plantard "registou os estatutos"...
É claro que este livro teve o condão de despertar muitas pessoas para a leitura, assim como as visitas
ao Louvre e à Igraja de Saint-Sulpice.O livro leva-nos é sobretudo a interrogar sobre uma séria de questões...
Ass. Alladin

Anónimo disse...

:)

A minha opinião é parcial.
Mas não consigo ver no Código da Vinci nada de tão novo assim... Primeiro, a ideia de levantar suspeitas acerca da vida de Jesus Cristo e da forma como foi fundada a Igreja não é tão original quanto isso... Há "n" livros de vários autores e de todos os cantos do Mundo que, com histórias mais ou menos mirabolantes tentam baralhar as pessoas e amealhar alguns milhares (ou milhões?) de dólares... Depois, a forma como a história se vai desenrolando é uma amálgama de ideias mais ou menos "adoptadas" de outros autores... Este livro prima pela boa qualidade do romance, mas basta consultarmos alguns, mesmo "reles", livros de história para termos a certeza de que muitas coisas não se passaram historicamente como o livro descreve. Se é um romance e só pretende ser um romance, é um livro interessante. Se pretende ser um romance que abre para a descoberta de novas VERDADES, é um logro. Se de cada vez que aparecesse alguém a dizer-se dono de uma nova verdade toda a gente acreditasse, mudávamos de 5 em 5 minutos e a Alexandra Solnado já andaria a pregar o "Jesus Cristo que vos fala" por este Mundo fora... Talvez lhe tenha faltado boa publicidade...

;)
hhuuggoo