segunda-feira, outubro 03, 2005

Corpos - No dia do Eclipse Solar

Meu corpo quente em que te encostas
Teu corpo frio em contraste com o coração
Teu interior feminino onde arde a paixão.

Deslizas suave sobre mim,
Numa dança que nos embala, atrasando o fim.
Uma entrega total,
Corpo sombra, corpo luz.
Nesse aroma intenso que nos invade e seduz.

Um movimento firme, uma boca que morde
Um abraço apertado, mão que agarra forte.

Com o grito surdo que só nós ouvimos
gritamos a magia que nos corpos sentimos
A pele larga a loucura, numa paz que acalma,
E numa magia contemplamos dentro dos olhos a alma.

Este é o momento supremo em que a vida faz sentido
Quando este corpo que tenho está fundido contigo!

Sem comentários: