segunda-feira, janeiro 07, 2008

Balzaquiana

Perco-me no redondo das tuas formas,
na tua carne que me sacia,
no teu gesto que me guia,
ao mar da fecundidade.

Entre os teus seios leite e mel,
bebo-os de um só trago,
vem depois o gosto amargo,
da minha virilidade.

Na tua boca o beijo quente,
primeiro eu, depois nós
num momento estamos sós
noutra realidade.

Dormem os corpos cansados
do desejo satisfeito
colados peito no peito
entregues em felicidade.

Sem comentários: