domingo, janeiro 20, 2008

Paradoxos



Paradoxos
(em memória de um jardim escondido)

Amo-te,
e não posso amar-te.

Desejo-te,
e não posso desejar-te.

Toquei-te,
e não posso tocar-te.

Sem comentários: