quarta-feira, maio 28, 2008

O velho morreu

O velho morreu na cama do hospital
cercado de luz e desinfectantes,
médicos, enfermeiras,
palhaços e estudantes.
O velho morreu ali sozinho
tinha o nome na pulseira
que estava presa ao seu pulsinho.
E com tanta tecnologia,
que por lá havia,
o velho morreu de qualquer maneira.

Talvez preferisse morrer ao sol,
cavando batatas como em criança
tendo à sua frente uma terra de esperança
em vez de jazer assim num lençol.
O lençol é branco e carimbado,
e o velho fazia
num vaso cromado,
fazia e doía... raios partam a idade.
E o velho dormia
a enganar a verdade,
pensou que a morte o tinha esquecido,
tal era o efeito no velho juizo.

Mas quando a viu passar,
o velho... fixou nela o olhar
e fisgou-a com um sorriso.

Sem comentários: